A notícia mais importante do dia, ilustrada para fazer "Cócegas no Raciocínio" e fomentar a indignação dos que são contra o PACOEPA - Pacto Corruptônico que Envergonha o País.
Padrão Frontal

 

“Michel Temer vencerá, porém não convencerá. Só não dá para saber como chegará ao fim de um governo que sequer começou. O Presidente sangra, e seus aliados mamam nas tetas do dinheiro público.
573
O desgaste política é imenso, e o desempenho sofredor da economia só anima quem tem dinheiro para viver em outra dimensão. As contas públicas seguem arrombadas. A equipe econômica vai nos impor mais impostos.

 

576
A violência sai de controle. As pessoas sofrem com a insegurança. A jurídica, nem se fala.

 

583
Lula vira réu pela terceira vez na Lava Jato. A segunda turma do Supremo Tribunal Federal segue a rotina de soltar condenados por crimes de corrupção. A blindagem que será dada a Michel Temer consagrará a impunidade e a falta de vergonha na cara da desqualificada classe política. A impressão real é que o Brasil, que está ruim, pode ficar ainda pior. Todo cuidado é pouco!

 

581

Toda sociedade “doente pela falta de democracia” é marcada pela completa falta de representatividade do Estado / Governo com a sociedade. Esta doença que aflige os regimes democráticos às vezes gera DITADURAS na prática e em diferentes formatos. Elas podem ser explicitamente sustentadas pelo uso da força, ou seja, das Forças Armadas, sejam as regulares ou nos moldes milicianos lá da Venezuela. Agora em pleno século 21, o século das comunicações instantâneas, das redes sociais, das fibras óticas e da tecnologia da informação o que assistimos é a falta de democracia através do Populismo de Estado.

 

 

584

Os Governos Populistas se apresentam com verniz ora de esquerda, ora de direita. A ideologia é mero instrumento de enganação e dominação. O traço comum é a existência de uma casta que vive “incrustada” na máquina pública. Existe e “prospera” em condições financeiras suntuosas, enquanto o restante da população “paga indefinidamente” a fatura de políticas públicas que prometem melhorar a vida de todos, um dia. Triste Zelite… Não importa o tamanho do PIB do país. O principal traço do subdesenvolvimento é o baixo nível de renda da esmagadora maioria da população, enquanto uma burocracia estatal / pública se esbalda em altos salários, corrupção generalizada e ausência de mecanismos sociais, políticos e econômicos que permitam a esta sociedade deixar de ser refém desta máquina pública.

 

 

579

As cleptocracias (estado governado por ladrões) da Venezuela e da Coreia do Norte não são tão diferentes como podem parecer no estilo. Baixa qualidade de vida da grande maioria da população, grandes bolsões de miséria, repressão contra a sociedade que tenta se organizar para alterar as políticas públicas, inexistência total ou aparelhamento do Poder Judiciário e por aí vai. As melhores práticas de gestão do aparato público não são aplicadas. São reprimidas.

 

 

580
Vimos nas últimas décadas as oligarquias latino americanas adotarem todas as formas de práticas medievais para permanecerem no poder político e econômico. Oligarquia não tem cor política. A esquerda festiva e infantil da América Latina, firmemente reprimida pelos regimes militares implantados nos anos 60 e 70, se deixou encantar pelos lindos sorrisos das velhas raposas oligarcas. Através de alianças espúrias, chegaram ao poder no início do século XXI.

 

 

582
Pensavam poder controlar a máquina pública e promover políticas públicas historicamente associadas às bandeiras da esquerda socialista internacional.
Para tanto, os fins justificavam os meios. Ficaram parecidas com o regime do oligarca e ditador nicaraguense Anastásio Somoza, que culminou com uma guerrilha que dizimou a economia do país. No Brasil, a zelite oligarca faz e desfaz alianças políticas e econômicas para se manter a qualquer custo no controle da máquina pública. Fabricam “nomes novos” para disputar as eleições, mas as práticas de corrupção e enriquecimento ilícito às custas do dinheiro público se perpetuam – independentemente do Partido Político que tenha obtido maioria no processo eleitoral, em todas as esferas do poder público.

 

 

574

A população total da Venezuela é menor que a população do estado de São Paulo. A população da Argentina também. Sorte nossa que é bem diferente manter o controle político sobre uma população de aproximadamente 230 milhões de pessoas, em um país de extensão continental como o Brasil. A turma do Foro de São Paulo deve ter descoberto isso, depois da queda do PT, com a continuidade da Nova República implantada pelo PMDB, em acordo de conivência com os partidos que eram situação no tempo dos militares.

 

 

578

Ficou evidente a existência de uma esquerda fraca intelectualmente e inexperiente em termos de controle de uma máquina pública corrompida e tradicionalmente controlada por uma oligarquia medieval. Foi isto que “salvou” o Brasil de passar por experiências como as da Venezuela (de Chaves) e da Argentina (do clã dos Kirchner). Associado a isso, temos uma grande parcela da população que tem menos de 40 anos e utilizam intensamente as redes sociais. Assim, “velhos” mecanismos de controle da mídia, tão usados pela oligarquia medieval brasileira, passaram a falhar e escancarar o distanciamento entre o padrão de vida das famílias oligarcas e do restante da população.

 

 

577

Nos anos 80 assistíamos horrorizados às guerras na África e víamos depois os ditadores sanguinários mudarem com suas famílias para mansões suntuosas na Europa ou nos Estados Unidos. Enquanto as populações de seus países eram massacradas pelas forças militares ligadas a seus Governos, esses diretores e suas famílias depositavam bilhões e mais bilhões de dólares em bancos no Exterior.

 

 

572

Não, caros leitores. Não estamos falando do Brasil de 2017 revelado a nós pela Lava Jato. Estávamos falando de miseráveis países africanos dos anos 80. Poderíamos dizer que só nos falta mesmo a guerra civil para estarmos iguais a estes países africanos. Acontece que em 2016 ocorreram pelo menos 60 mil assassinatos no Brasil. No ano anterior os números foram parecidos. Só falta anunciarmos que se trata de uma guerra civil, pois os mortos estão aí, lotando hospitais, necrotérios e nas ruas das nossas pacíficas cidades. Parceiro do Crime Institucionalizado, o chamado “crime organizado” controla nossos presídios e aterrorizam toda a população. Eles não podem ser combatidos apenas pela mera via repressiva armada. Só umamudança estrutural no Brasil pode conter o crime. É preciso que a sociedade assuma definitivamente o controle do Estado no Brasil. Só assim vamos tirar o Crime do Poder.

 

 

575

A máquina pública deve ser totalmente reestruturada para que deixe de ser ferramenta da oligarquia medieval ou deixe de ser laboratório social de uma esquerda festiva e demagógica. Todos usando o Crime Institucionalizado, e servindo a interesses de controladores externos, para manter o Brasil subdesenvolvido – como a mais importante colônia de exploração do mundo globalitário. Mudar a estrutura estatal brasileira, com a sociedade controlando o Estado e não sendo meramente controlada por ele, é o maior desafio dos brasileiros honestos, de bem e do bem, que só sobrevivem para pagar impostos para sustentar o modelo Capimunista Rentista e Corrupto.

585

A “ficadinha” de Temer, o desespero da falsa oposição, o agravamento da crise econômica e o descontrole da violência vão acelerar o desejo por mudança. Até o melhor acontecer, o Brasil pode piorar, e muito. Estamos em Guerra Híbrida, de 5ª Geração…“(Jorge Serrão – Alerta Total)

PARA COMPARTILHAR NO FACEBOOK, CLIQUE NO PRIMEIRO QUADRO:

0 comments

Deixe uma resposta